quinta-feira, 8 de abril de 2010

Curiosidade alheia


A curiosidade não matou só o gato, a verdade é que ela deve ter matado muita gente por ai, não adianta negar, eu sei que a carapuça serviu, sempre serve, em mim em você, em todos, com o perdão por ter generalizado. Eu diria até que é normal, até porque nós seres vivos e dotados de células animais, tendemos a ser assim.
Por exemplo, acontece alguma coisa diferente com algum amigo e ele ti diz ‘’não posso contar’’ Pronto dai aparecem os sintomas, você fica nervoso como se milhares de pulgas pulassem em você ao mesmo tempo, não para por um instante, e se compromete a infernizar a vida do pobre até que ele te conte. É inevitável, bem mais forte do que você pensa, sai como um impulso, ou um reflexo. Mas no fundo acho que faz parte da natureza humana e da não humana também, é a partir dessa curiosidade que vem a evolução, pode atrair coisas ruins ou boas, mas que disse que pra inventar a roda o homem não teve que martelar o seu dedo?

Amanda Vieira

4 comentários:

Rodolpho Padovani disse...

Verdade né, a nossa curiosidade pela vida alheia chega a ser algo curioso... hahaha
Muito bom o texto, o blog no geral, tô seguindo =D

bjs e bom fds.

Manuela disse...

Eu confesso que sou bastante curiosa rsrsrs

beijos

Juci Barros disse...

Muito bom texto.
http://compromissocomoacaso.blogspot.com/

Tiabetok disse...

flor...gostei de mais daqui...
estou seguindo...lindos posts...estou lendo tudo...
bjos